Instituto AVON pauta mudança de comportamento no combate às violências

As diferentes formas de violência que acometem as mulheres são, ainda, pouco conhecidas pelas próprias vítimas. Reconhecer, quando de uma denúncia, que violência psicológica, sexual, patrimonial, moral, se equiparam à violência física e que devem ser combatidas ainda é um desafio.

Mas um desafio ainda maior é unir homens no ativismo pelo fim destas violências. Este é um dos objetivos principais do Instituto AVON ao propor, no Brasil, a Campanha dos “21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”. Em Salvador, o Instituto está em parceria com o Coletivo de Entidades Negras (CEN) e a Prefeitura de Salvador, na realização de ações de conscientização.

Além de enfatizar a maior incidência destas violências entre mulheres negras – a Campanha iniciou no dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra – o Instituto AVON vem pontuar, com ações em todo país e nas Redes Sociais, a importância de chamar os homens à responsabilidade neste ativismo.

“Enquanto não compreendermos e não chamarmos os homens para este debate, não conseguiremos acabar coma violência, uma vez que o machismo é o fator estruturante dela, assim como o racismo é estruturante em nossa sociedade” – Mafoane Odara,  pontua a coordenadora de projetos do Instituto Avon, responsável pela pauta da violência contra a mulher.

Nesta agenda, o Instituto, segundo Mafoane, tem pautado suas ações na construção do conhecimento – por meio de pesquisas, na articulação com outras empresas e no apoio a projetos que pautem a temática em todo o país, além do engajamento em meio a seus postos de revenda e funcionários. “Ao pautarmos nossas ações, não temos como ignorar o recorte racial, uma vez que as mulheres negras sofrem três vezes mais violências, além dos novos dados do feminicídio, que vitima 54% mais mulheres negras”, explica.

Naira Gomes, Olívia Santana, Jucy Silva
Naira Gomes, Olívia Santana, Jucy Silva

Com a Campanha, que tem como mote “A mudança começa onde o silêncio termina”, o Instituto apoia nestes 21 dias, mais de 100 ações em todo o Brasil. Na Bahia, as ações são capitaneadas pelo Coletivo de Entidades Negras . A foto acima integra exposição fixada durante estes 21 dias no Shopping Barra, reunindo artistas e personalidades baianas na luta pelo empoderamento feminino.

Mafoane chama a atenção para a “violência invisível”, aquela que mora no comportamento, no dia a dia e sobre a qual não se fala. “Precisamos encontrar novas formas de falar sobre o tema, não apenas no julgar e no culpar, mas propor a conversa, na mudança dos nossos hábitos. Apontar o erro não é a única forma”. A Campanha também associa o mote à hashtag #VamosConversar, com ações nas Redes Sociais.

Uma das ações para a qual Mafoane Odara chama a atenção aqui na Bahia é a que será realizada junto à Polícia Militar, protagonizada pela Major Denice Santiago (comandante da pioneira Ronda Maria da Penha). Nos dias 29 de novembro e 5 de dezembro, serão realizados encontros de formação sobre atendimento às mulheres vítimas de violências junto a policiais militares e comandantes de batalhões na cidade, respectivamente.

Fonte: http://portalsoteropreta.com.br/instituto-avon-pauta-mudanca-de-comportamento-no-combate-as-violencias/

Deixe seu comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pular para a barra de ferramentas