Líderes políticos e empresariais norte-americanos discutem cooperações com a Bahia

 

O Governo do Estado recebeu nesta terça-feira (4), em Salvador, uma comitiva formada por gestores públicos e líderes empresariais negros da cidade de Newark, localizada em Nova Jérsei, nos Estados Unidos. A vinda à Bahia, intermediada pelo Coletivo de Entidades Negras (CEN), teve como finalidade a troca de experiências e a discussão de cooperações bilaterais nos campos cultural, educacional e do empreendedorismo. A titular da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Fabya Reis, além do secretário da Cultura (Secult), Jorge Portugal, receberam o grupo.

“Este é um diálogo internacional que pretende analisar as potencialidades de ambas as partes e perspectivas de parcerias. As aproximações institucionais podem ampliar horizontes para o empreendedorismo que beneficie a comunidade negra, inclusive considerando os segmentos tradicionais, a exemplo dos quilombos. Pretendemos alcançar sinalizações interessantes para a Bahia, a partir destas relações diplomáticas”, disse Fabya Reis, afirmando que o encontro sinaliza um conjunto de intenções a serem desdobradas posteriormente, seguindo ritos diplomáticos entre os países.

Para o secretário da Secult, Jorge Portugal, a cultura da Bahia sai fortalecida com a relação institucional estabelecida na interlocução. “A cultura baiana é um campo profícuo e ganha muito com essa agenda. Temos grande expectativa nas possibilidades de parcerias. Essa construção, feita por países e localidades que têm relação com a diáspora africana, é favorável a um entendimento positivo”, afirmou Portugal.

A vice-prefeita de Newark, Jacqueline Quiles, afirmou que sua cidade, de maioria populacional negra, deseja “abrir portas e ampliar relações” com o Brasil e a Bahia. “Vamos continuar o diálogo a partir deste momento. Temos uma grande universidade, através da qual podemos receber estudantes brasileiros. Também queremos intercâmbios de negócios e cultura, que para nós é muito importante”, afirmou a líder, cuja cidade é uma das maiores da Região Metropolitana de Nova Iorque. Newark possui um moderno centro comercial, industrial e financeiro e abriga o segundo principal aeroporto da região.

O dirigente do CEN, Marcos Rezende, acredita que a agenda entre Bahia e Newark trará resultados bastantes frutíferos. “A agenda também é voltada a construções conjuntas entre jovens negros empreendedores dos dois lugares. Precisamos estabelecer relações mais sólidas com a comunidade negras e norte-americanas. Teremos, ainda, trocas de conhecimentos e saberes, através as universidades. Lá vivem mais de 20 mil brasileiros, o que podemos compreender como elemento de fortalecimento dos laços culturais”, enfatizou. Rezende informou que no mês de setembro uma semana inteira é dedicada ao Brasil, em Newark, objetivando o estreitamento das relações.

Oportunidades e divulgação em Newark
– A baiana Silvana Magda mora em Newark e produz anualmente eventos tradicionais como “Lavagem da Rua 46”, reunindo música, capoeira e outras expressões culturais da Bahia. “Fazemos questão de afirmar que somos muito mais que samba e tambor. Além de divulgar o Carnaval pelo mundo, sem dúvidas, temos muito mais a oferecer. Precisamos de distribuição de oportunidades em diversos campos, como na indústria em outros segmentos empresariais”, disse, ressaltando a importância de cooperações e crescimentos mútuos entre as diversas nacionalidades.

O brasileiro José Moreira, empresário há 29 anos no setor de alimentação e cultura, em Newark, falou da importância de fortalecer a presença do Brasil nas terras norte-americanas. “Temos por lá uma grande trajetória. Promovemos o Brazilian Day de Newark, levando milhares de pessoas, de todo o mundo, àquela cidade. Além de fazer negócios, acolhemos a comunidade brasileira por lá”, ressaltou.

Turismo na Bahia
– O superintendente da Secretaria de Turismo (Setur), Jorge Ávila, pontuou que o Governo do Estado compreende o mercado norte-americano como um grande potencial consumidor dos destinos baianos, distribuídos em 13 zonas turísticas e de diferentes naturezas, a exemplo do turismo étnico, religioso e de eventos.

Visita ampla
– Outras lideranças negras acompanharam a vice-prefeita Jacqueline Quiles, como a assistente sênior da prefeitura, Lígia de Freitas; o advogado, educador, músico e presidente da Newark350, Junius William; a produtora do Festival de Jazz e Patrimônio de Nova Orleans, Jackie Harris. Em Salvador a comitiva ainda cumpre agenda até o próximo sábado (7), com programação que inclui reuniões com o reitor da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), José Bites e representantes da Universidade Federal da Bahia (Ufba). O grupo também mantém diálogo com a Comissão de Promoção da Igualdade da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), visita ao Pelourinho e às comunidades periféricas da cidade, ida ao bloco afro Ilê Aiyê, na Liberdade. Também serão levados ao terreiro Pilão de Prata, na Boca do Rio.

Fonte: http://www.sepromi.ba.gov.br/2017/04/1406/Lideres-politicos-e-empresariais-norte-americanos-discutem-cooperacoes-com-a-Bahia.html

Deixe seu comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pular para a barra de ferramentas