Malcolm X

Malcolm X foi um dos maiores representantes na defesa dos direitos dos negros nos Estados Unidos.

Nascido no dia 19 de maio de 1925 na cidade de Omaha, Malcolm Little era filho de Earl Little e de Louise Little. Quando tinha apenas seis anos de idade, seu pai, que era membro da Associação Universal Para o Progresso Negro, foi brutalmente espancado e jogado na linha do trem. Com o corpo quase partido ao meio, faleceu em seguida. A mãe era filha do estupro de uma mulher negra por um homem branco, o que a fazia ter uma cor de pele mais clara e, por isso, conseguia empregos domésticos com mais facilidade. Louise assumiu o sustento da família de oito filhos, porém não dava conta com o que recebia e a família chegou a uma condição de indigente. Negava sempre em oferecer seus filhos para adoção e o governo dos Estados Unidos passou a questionar sua sanidade mental. Por fim, os dois irmãos mais velhos foram deixados à própria sorte e os demais foram adotados. Era a separação da família.

Malcolm Little, que ficou conhecido como Malcolm X, tornou-se um bom aluno. Mas, após ser desacreditado por um professor, mudou-se para Boston e assumiu uma vida boêmia. Teve uma companheira negra chamada Laura, mas a trocou por uma mulher branca de nome Sophia. Mesmo após Sophia se casar com um homem branco, Malcolm continuou sendo seu amante. O jovem Malcolm fingiu-se de louco para evitar o serviço militar e teve vários empregos, frequentou ambientes de crime e prostituição. Não tardou para que ele também se tornasse traficante e cometesse os primeiros assaltos. Malcolm foi jurado de morte no Harlem e um amigo seu providenciou para que voltasse a Boston. De volta a esta cidade, formou um grupo com o amigo que morava, Shorty, e Sophia e sua irmã para assaltar casas. As primeiras investidas foram favoráveis ao grupo, mas eles foram descobertos e presos. Coube a Malcolm a maior pena entre eles, onze anos de cadeia.

Malcolm era conhecido como Satã na prisão por apresentar uma postura rebelde e anti-religiosa. Mas, por influência do irmão Reginald, converteu-se ao islamismo. Foi transferido, então, para uma cadeia de reabilitação profissional e tornou-se um leitor faminto de sua biblioteca. Recebeu da Nação do Islã o “X” para o seu nome que teria sido revelado por Deus como nome verdadeiro de sua família, ficando conhecido como Malcolm X. Teve um crescimento muito rápido dentro da Nação Islã e foi nomeado ministro do principal templo estadunidense, o de Nova York.

Malcolm X casou-se com Betty e dedicou-se a trabalhar pelo crescimento da Nação do Islã. Foi fundador de um jornal sobre muçulmanos negros, o que lhe rendeu convites para falar em programas de rádio e TV e em universidades. Tornou-se uma personalidade mais conhecida que Martin Luther King e o próprio presidente John Kennedy, o que despertou o ciúme dentro da Nação do Islã. Os muçulmanos negros conspiraram para que ele parecesse um traidor e o resultado foi seu banimento da Nação do Islã. Após sofrer tal humilhação, foi à Meca para conhecer melhor o Islã e iniciou uma nova fase em sua vida. Voltou aos Estados Unidos e fundou a Organização da Unidade Afro-Americana que não se tratava de um grupo religioso e tinha o objetivo único de unir os afro-americanos.

Malcolm X se destaca na história dos Estados Unidos no século XX por ser um negro de grande repercussão e que defendeu os direitos da comunidade negra. Adepto ao islamismo, acreditava que a violência poderia ser usada para se defender. Percebeu que a questão do negro não estava ligada apenas a um fator religioso, mas tinha relação com a estrutura do capitalismo. A organização que fundou passou a assumir o socialismo e foi muito influente nas ações do movimento negro da década de 1960. Lamentavelmente, Malcolm X foi assassinado no dia 21 de fevereiro de 1965 ao receber 16 tiros no peito na sede de sua própria organização. Malcolm tinha apenas 39 anos, possuía quatro filhos e sua esposa estava grávida de mais um.

Fonte: http://www.malcolmx.com/

Deixe seu comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pular para a barra de ferramentas