Ó Pai ó revela o Pelourinho Antigo

O espetáculo Ó Paí ó, montado pela primeira vez pelo Bando de Teatro Olodum em 1992, permanece atual pela síntese que faz do modo de ser e sobreviver dos moradores e freqüentadores do histórico bairro do Pelourinho, Centro Histórico de Salvador. O nome deriva da expressão popular das ruas de Salvador, uma corruptela de “Olhe para isso, olhe”. Em um Cortiço, administrado com mão de ferro por uma evangélica, moram os mais diferentes tipos que movimentavam o bairro. A realidade do Pelourinho Antigo é apresentada através de personagens cômicos que dividem o ambiente do pequeno cortiço, tendo que enfrentar a intolerância de Dona Joana, a religiosa proprietária. São músicos, artistas plásticos, prostitutas, travestis, baianas de acarajé, proprietários de pequenos bares, associações comunitárias, blocos afros, enfim, personagens reais que, pouco a pouco, foram expulsos do local para dar espaço a um fictício shopping turístico a céu aberto.

     A montagem do Bando retrata um dia na vida desses diversos tipos que viviam no Centro Histórico. Um dia especial: uma Terça-feira de Benção, quando a movimentação na área é ampliada e também as alegrias e sofrimentos dos moradores de uma região estigmatizada e abandonada pelas autoridades. Enquanto se preparam para curtir a farra da Terça da Benção, os moradores precisam enfrentar a falta de água no prédio (ação proposital da proprietária) e o extermínio de crianças da área a mando de comerciantes interessados na “limpeza étnica” do local para aumentar a atração de turistas. Tudo discutido com criatividade, consciência racial e deboche, marcas definitivas das produções do Bando de Teatro Olodum.

     O texto da montagem foi construído  por Márcio Meirelles através de improvisações com o elenco do Bando de Teatro Olodum. A direção é de Márcio Meirelles, as músicas originais e a direção musical de Jarbas Bittencourt, coreografia de Zebrinha, Iluminação de Rivaldo Rio, espaço cênico e figurino de Marcio Meirelles e Zuarte Junior, produção de figurino e cenário de Zuarte Junior.

     Espetáculo é um registro histórico de uma comunidade

     A peça Ó Paí ó nasceu dos primeiros passos do Bando de Teatro Olodum no cenário teatral baiano, no início da década de 90, quando o elenco ensaiava na Faculdade de Medicina do Terreiro de Jesus, no Centro Histórico. O convívio diário com os moradores do Maciel Pelourinho e a participação nas movimentadas Terças de Benção inspiraram o elenco do Bando na montagem de estréia da companhia, a peça “Essa é Nossa Praia”, de 1991. A boa aceitação do público e a conexão direta entre a realidade daquela comunidade com os questionamentos que o Bando queria levar ao palco fizeram com que o grupo voltasse a tematizar o Centro Histórico e os problemas enfrentados pelos moradores. Daí nasceu Ó Pai ó, causando forte impacto na cidade e impressionando a todos pelo talento e ousadia do Bando em representar as alegrias e tristezas de uma localidade marginalizada e pouco conhecida, porém que preservava, no seu dia-a-dia, fortes elementos da identidade afro-baiana, como a musicalidade e o sentido de comunidade.

Serviço:

O que: Espetáculo O paí, o!

Onde: Teatro Vila Velha

Quando: De 8 a 24 de julho / sex e sab 20h / dom 19h

Valor: Inteira R$ 30 / Meia R$ 15

Deixe seu comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pular para a barra de ferramentas