INNPD

A Iniciativa Negra por uma Nova Política sobre Drogas (INNPD) é uma articulação piloto de uma rede capaz de articular movimentos sociais negros, sociedade civil, organizações não governamentais, coletivos negros e intelectuais com atuações diversas na temática racial. Nossa missão é ampliar a discussão sobre política de drogas com centralidade na questão racial, dando visibilidade aos efeitos perversos dessa atual política sobre parcela significativa da população negra brasileira, sobretudo jovens.Nesse sentido, a INNPD visa construir estratégias conjuntas de combate ao racismo institucional justificado na Guerra as Drogas por conta da ilegalidade da circulação de determinadas substâncias, que atinge o povo negro de forma majoritária tanto em sua letalidade, quanto no alto índice de encarceramento de homens e mulheres e na degradação de pessoas em situação de rua.

VALORES FUNDAMENTAIS
A atual política de drogas é um fracasso no que se propõe, pois ao longo de mais de um século de repressão o uso e comércio de drogas só aumentou e se estruturou como uma economia da informalidade, no entanto é uma política eficaz para a construção de novos mecanismos da segregação histórica dirigida a população negra, que em grande parte encontram suas fonte de renda em posições de alto risco dos mercados informais como o comércio de drogas e armas.

A atual política de drogas é uma ameaça à democracia e fonte de corrupção das instituições de Estado, pois a operação do mercado ilegal de algumas drogas exige ações criminosas por parte de seus agentes nas variadas instâncias de poder.

A atual política de drogas coloca em vulnerabilidade todos e todas que de alguma maneira se relacionam de maneira direta ou indireta com o mercado de drogas ilícitas, seja na figura de pessoa que faz uso; que trabalham nesse mercado informal; trabalhadores e trabalhadoras do Estado, sobretudo das forças de segurança; e comunidades inteiras através da militarização de territórios com a justificativa de combate ao tráfico de drogas.

A atual política de drogas NÃO serve a população negra, uma vez que apenas retroalimenta o racismo estruturante de nossa sociedade legitimando mecanismos e práticas de racismo institucional. Tais mecanismos resultam na manutenção da seletividade penal do judiciário; no superencarceramento de negros e negras e em práticas criminosas nos aparelhos de segurança do Estado, operando o genocídio da população negra.

A guerra às drogas é também uma guerra contra mulheres pretas, registrado nos altos índices de aprisionamento feminino, na maioria das vezes em razão de delitos envolvendo pouca quantidade de droga. A ausência de políticas para mulheres em situação prisional agrava o quadro de violência.

As políticas sobre drogas devem ser norteadas pela garantia de direitos e respeito aos direitos humanos, articulada no campo do desenvolvimento social e econômico, da saúde pública e da redução de danos.

FOTOS DO LANÇAMENTO:

Deixe seu comentário
Pular para a barra de ferramentas