Vereador do PSOL em Salvador é agredido por aliados de ACM Neto durante votação do Plano de Educação

Fonte: PSOL

A sessão que votou o Plano Municipal de Educação, na noite desta terça-feira (14), na Câmara Municipal de Salvador, foi marcada por tumulto, confusão, violência e agressões, por parte de aliados do prefeito ACM Neto, contra manifestantes que acompanhavam a votação. Uma das vítimas da repressão foi o vereador do PSOL, Hilton Coelho, agredido fisicamente com um murro no rosto pelo vereador Henrique Carballal (PV) e com um chute na perna pelo vereador Joceval Rodrigues (PPS). Além do parlamentar do PSOL, militantes sociais e estudantes também foram alvos da truculência da base aliada do governo municipal.

“A votação foi marcada por muito tumulto, confusão e violência aos manifestantes que estavam presentes no local. Manifesto minha indignação ao ato truculento e autoritário da Câmara de Vereadores”, disse o presidente do PSOL de Salvador e pré-candidato a prefeito, Fábio Nogueira. Segundo ele, logo depois da ofensiva, o partido e o mandato do vereador registraram boletim de ocorrência na delegacia contra a agressão sofrida por Hilton Coelho.

De acordo com Nogueira, o ocorrido representa o despotismo de Henrique Carballal, que já vem perseguindo há algum tempo o mandato do PSOL na Câmara Municipal. “As mediações feitas pelo mandato de Hilton demonstram, mais uma vez, que o PSOL está ao lado dos professores da rede pública municipal e em defesa de Salvador”, disse o pré-candidato a prefeito, se referindo à votação do Plano Municipal de Educação, aprovado pela Câmara de Vereadores.

Para Hilton Coelho, os dois vereadores que o agrediram não têm princípios políticos dignos e, por isso, partem para agressões físicas quando faltam argumentos inteligentes para justificarem suas posturas subservientes ao prefeito ACM Neto. “Além de agressores, querem agora ameaçar nosso mandato com uma possível denúncia ao Conselho de Ética da Casa. Queremos que isso ocorra porque sabemos que a verdade há de prevalecer e temos testemunhas para cada ato que ocorreu na Casa nesta terça-feira (14)”.

Hilton Coelho lembra o histórico de violência de Carballal que, na noite de segunda-feira (13), agrediu um manifestante em frente à Câmara Municipal. “Alguém que agride uma pessoa que se manifesta contra sua posição não tem o menor equilíbrio para representar a população no Legislativo. Nada nos surpreende em relação ao atual verde que já deve estar em seu quarto ou quinto partido político. Não deixou saudades em nenhum”, define.

Já em relação a Joceval Rodrigues, Hilton Coelho considera que uma pessoa que usa o nome de Deus em quase todas as suas intervenções deveria ao menos não mentir. “Ele precisa entender que o Estado não tem religião e por ser laico respeita a diversidade e o livre arbítrio. Seu posicionamento conservador e retrógrado em relação ao Plano Municipal de Educação (PME) mostra quem ele representa. De agressor, tenta passar a imagem de agredido. Acreditamos que uma ampla apuração mostrará quem falta com a verdade”.

A assessoria do mandato do vereador do PSOL está analisando todas as imagens das agressões e deve protocolar uma representação na Comissão de Ética da Câmara Municipal contra os dois vereadores aliados de ACM Neto.

“Agressões e ameaças não calarão nosso mandato. O PME aprovado é uma fraude. Feito sem participação ativa da sociedade, não coloca a questão de gênero, raça e sexualidade, representa um retrocesso e atende apenas à privatização da educação municipal. Estamos diante de um PME machista, racista, homofóbico, retrógrado e privatista. As denúncias que fazemos e nossa postura independente e comprometida com os interesses da maioria da população é o que incomoda aqueles que aprenderam a dizer ‘amém’ para o ocupante do Palácio Thomé de Souza”, finaliza Hilton.

Confira, no link abaixo, o vídeo do momento em Hilton leva o soco de Carballal.

Agressão Hilton framer

Deixe seu comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pular para a barra de ferramentas