MEC é criticado por ‘embranquecer’ estudante prodígio em desenho

O Ministério da Educação (MEC) está recebendo críticas de usuários de redes sociais depois de publicar no Facebook uma ilustração que representa uma estudante colégio Pedro II classificada para as Olimpíadas de Neurociência na Dinamarca. Internautas dizem que o desenho em questão mostra a aluna, que é negra, com a pele muito mais clara que a realidade.

 

Postagem está sendo criticada

Em nota, o MEC, que fez o post para homenagear a menina, rebate as acusações. Segundo a pasta, a ilustração “é um complemento da matéria e teve o único propósito de fazer uma representação da aluna a partir da fotografia da mesma postada no site da rádio MEC, tanto que a ambientação da imagem é a mesma”.
Lorrayne Isidoro, de 17 anos, estuda na unidade do Engenho Novo do Pedro II, Zona Norte do Rio. Como O GLOBO revelou, a aluna venceu a IV Olimpíada Brasileira de Neurociências (Brazilian Brain Bee), em São Paulo, depois de estudar muito, por conta própria e com a ajuda de professores.
Com a vitória, Lorrayne conquistou a única vaga para representar o Brasil na 16ª Olimpíada Internacional (2016 Brain Bee World Championship), na Dinamarca. Sem dinheiro e com custos da viagem estimados em R$ 15 mil, Lorrayne criou uma vaquinha on-line, com a qual conseguiu quase quatro vezes mais que o necessário em apenas cinco dias.
O MEC fez um post em sua página oficial no Facebook, assim como uma matéria em seu site, para homenagear a aluna. Só que, na postagem, em vez de uma foto da adolescente, usou uma ilustração. Choveram críticas sobre o post.
A estudante retratada no desenho aparenta ter pele mais clara, cabelos lisos e traços de rosto mais finos.
Postagem está sendo criticada

 “O desenho não parece nada com ela. Ela é afrodescendente e o desenho ao meu ver estar mais pra asiática”, “Parem de embranquecer a menina e de tirar o mérito da escola pública onde ela estuda” e “Arte horrível, mau gosto, contrataram o assessor de comunicação do revoltados online?” são apenas algumas das críticas a ilustração.
A página “Socializa o designer”, que fala de casos semelhantes, foi quem primeiro comparou as imagens. Sua postagem destaca que é “basicamente uma outra pessoa, uma pessoa menos negra” e também questiona a escolha da frase de Lorrayne, como se apoiando a meritocracia.
Ao lado do desenho, o MEC destacou uma frase dita pela estudante: “Como não tive acesso, resolvi estudar por conta própria”. Mas muitos internautas criticaram a medida, dizendo que, em vez de exaltar a menina por isso, a pasta deveria dar auxílio para que os estudantes conquistem objetivos.
De acordo com o ministério, a pasta “mantém ações como as olimpíadas de Matemática e de Português, implantadas na gestão passada desde 2004. O MEC repudia qualquer tentativa de criar falsa polêmica nas redes sociais em detrimento dessa bela história de vida”.
Deixe seu comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pular para a barra de ferramentas