Comunicado | Instituto GANGA ZUMBA

O Instituto Ganga Zumba, organização política do Movimento Negro Brasileiro, com sede nos estados brasileiros do Amazonas, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Distrito Federal tem trabalhado em prol do combate ao Racismo e pela implementação de Políticas de Ação Afirmativa, em todos os âmbitos e instituições com as quais dialoga e trabalha. Nossas temáticas principais tratam da Implementação da Educação Afrocentrada e Étncio-racial (Lei 10639/2003), do Empoderamento e Autonomia das Mulheres Negras, Contra o Extermínio da Juventude Negra e pelo Respeito e Visibilidade das Comunidades de Matrizes Africanas.
Nos Estados em que atuamos, são diversas as atividades que temos realizado para qualificar e ampliar a pauta racial como oficinas com temas afro-brasileiros, atividades culturais que priorizam a cultura afrodescendente, seminários, rodas de diálogo, formação continuada e ações junto ao governo estadual e municipais para implantação das políticas de PIR.
Várias foram às reuniões que promovemos com governos estaduais e municipais, para reivindicar a criação de organismo de PIR, Conselhos Estaduais e Municipais de Promoção da Igualdade Racial, mas principalmente Planos Estaduais e Municipais de Combate ao Racismo para que pudéssemos monitorar e cobrar a implementação das Políticas Públicas para Negros e Negras.
Nos últimos dias, com o Golpe de Estado promovido contra a Presidenta Dilma Rousseff, legitimamente eleita pro mais de 54 milhões de votos, e com a instalação do governo golpista e as medidas imediatamente tomadas, os membros do Instituto Ganga Zumba reunidos aprovaram ações de combate e resistência ao Golpe. Essas se traduziram em participação nas diversas ocupações de escolas e instituições no país, atividades da FBP e da FBSM, e saída de todos os assentos que a instituição ocupa no Governo Federal em conselhos, comissões e similares.
O rebaixamento da SEPPIR, a órgão subordinado ao Ministério da Justiça; a exoneração de todas as Coordenações da SECADI/MEC; a política de desmonte do Ministério da Cultura; e a face racista e sexista espelhada na escolha dos ministeriáveis do Governo Golpista Temer, reforçaram nossa decisão e nos alinharam com outras organizações que lutam contra o Golpe.
Assim, seguindo a orientação dos seus integrantes, o Instituto Ganga Zumba com o intuito de fortalecer suas ações e ampliar seu espectro de diálogo em outros estados e com outras instituições, decidiu pela sua entrada no Coletivo de Entidades Negras – CEN.
O CEN, alinhado com a política institucional e com a pauta do Instituto Ganga Zumba, fortaleceu nossas ações nesse momento de resistência ao Golpe, sendo um interlocutor e parceiro de primeira hora.
Para o Instituto Ganga Zumba, também concorreu para essa decisão, as diretrizes que regem o CEN, onde “assegura-se, as entidades ou conjuntos de entidades que participem do CEN, a liberdade de deliberar sobre declarações e ações que decidam desenvolver, isoladamente ou de forma articulada com outras participantes. O CEN se compromete a difundir amplamente essas decisões, pelos meios ao seu alcance, sem direcionamentos, hierarquizações, censuras e restrições, mas como deliberações das entidades ou conjuntos de entidades que as tenham assumido.”
A posição do CEN contrapondo-se ao racismo, sexismo, homofobia e desrespeito com as religiões de matriz africana, respeitando os direitos humanos universais, bem como os de todas (os) cidadãs (os), apoiadas em sistemas, instituições democráticas, Cartas, Tratados e Princípios internacionais assinados e Ratificados pelo Estado brasileiro à serviço da justiça social, da igualdade e da soberania dos povos, consolida a opção feita pelo Instituto Ganga Zumba em compor os seus quadros.
Assina esse comunicado a Presidente Nacional do Instituto Ganga Zumba.
09 de junho de 2016.

Leonor Franco de Araujo
Presidente Nacional do Instituto Ganga Zumba

Deixe seu comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pular para a barra de ferramentas